O que fazer em Manaus

O que fazer em Manaus

Também conhecida como a Metrópole da Amazônia, Manaus é um dos melhores destinos a se visitar no Brasil. A capital do estado do Amazonas possui uma história rica, marcada principalmente pela extração do látex no século XIX, que até os dias atuais pode ser observada por um passeio na cidade. Apesar de todas as maravilhas da cidade, Manaus não é um destino tradicional no país e por este motivo, este post vai te ajudar com o que fazer em Manaus.

Descubra com a gente o que fazer em Manaus a Metrópole da Amazônia:

Passeio de Barco pelo Rio

Diversas agências de viagem da cidade organizam esse passeio que toma conta de um dia inteiro de viagem, mas que vale muito a pena. Geralmente o trajeto tem partida no atracadouro atrás do Mercado Adolpho Lisboa e vai em direção ao Encontro das Águas. O fenômeno se trata do encontro das águas dos rios Solimões e Negro que forma uma linda combinação de águas negras e barrentas, mas que não se misturam, separadas por uma linha imaginária.

A segunda parada é o Parque Ecológico do Janauari onde, dependendo da época do ano, o turista participará de duas opções de atividades. Caso esteja viajando entre Janeiro e Agosto, irá visitar o lago das vitórias-régias, planta aquática muito comum na região Amazônica, e no restante do ano, o viajante fará uma curta caminhada pela selva. Em seguida, o passeio faz uma pausa para um almoço tipicamente manauara em um restaurante flutuante, que deve ser pago à parte.

Depois do almoço, a atividade da vez é a interação com os botos cor-de-rosa. Diferentemente do que as pessoas pensam, os botos não são treinados de maneira alguma, eles vivem livremente pelo rio e só aparecem em busca de alimento. O grupo veste coletes salva-vidas e aguardam os botos responderem aos chamados dos alimentadores e, para quem não sabe nadar, existe também um deck submerso.

A última parada do caminho é definitivamente uma das mais emocionantes, a visita à uma aldeia indígena. Próximas à praia do Tupé, instalaram-se ali aldeias de indígenas vindos da fronteira com a Colômbia e que seguem até hoje os rituais tradicionais. Essas aldeias sobrevivem somente de vender seu artesanato e de encenar rituais indígenas para turistas que, ao final de suas apresentações, pode participar da dança ao redor da oca.

Visita à Arena da Amazônia

O espaço onde estava o antigo Estádio Vivaldo Lima abriga nos dias de hoje a Arena da Amazônia, um dos estádios brasileiros reformados para participar da Copa do Mundo de Futebol, sediada pelo Brasil no ano de 2014. A arena possui um design diferenciado que busca realçar a riqueza amazônica com um toque de modernidade, o maior exemplo disso é a sua estrutura metálica que tem uma aparência moderna semelhante à um cesto de palha indígena.

Após a Copa do Mundo, o local passou a aproveitar sua característica multifuncional ao passo que além de sediar jogos de futebol também conta com shows, eventos e feiras dos mais diversos tipos. Para quem tiver interesse, a Arena Amazônica fornece o serviço de visitas guiadas aos Domingos.

Teatro Amazonas

O motivo de Manaus ter sido chamada de Paris dos Trópicos foi a influência francesa durante o desenvolvimento inicial da cidade e um dos maiores exemplos de tal influência é a arquitetura parisiense que pode ser observada por diversos cantos da capital. Entretanto, um dos maiores símbolos disso é o Teatro Amazonas, construído no auge do Ciclo da Borracha para entreter os industriais e as companhias estrangeiras que passavam pela cidade. Ele foi inaugurado no ano de 1896 e até hoje mantém sua estrutura original que pode ser observada através de uma visita guiada no teatro que dura aproximadamente 1 hora.

Além disso, recomendamos que o turista conheça o teatro também através dos olhos de espectador. A programação do local é sempre movimentada e inclui apresentações gratuitas que agradam todos os gostos. Todos os anos no mês de Maio, acontece no teatro o Festival Amazonas de Ópera que prestigia a música, além de ser palco para discussões importantes sobre arte e cultura. De qualquer forma, o local é visita obrigatória ao passar alguns dias em Manaus.

Teatro Amazonas. Foto: Ana Cláudia Jatahy/MinTur

Praia da Ponta Negra

Apesar de Manaus ser conhecida como uma cidade portuária, um dos pontos turísticos mais tradicionais do município é a Praia da Ponta Negra. Diferentemente das praias brasileiras mais conhecidas, a Praia da Ponta Negra é fluvial, ou seja, é banhada com as águas de um rio, o Rio Negro. Ela possui uma orla urbanizada, quadras voltadas à prática de esportes e até um anfiteatro para apresentações. O destino fica ainda mais bonito do que já é ao final da tarde durante o pôr-do-Sol, período no qual o local fica mais movimentado.

Museus

Contrariando o senso comum de que as maiores atrações de Manaus estão na Floresta Amazônica, a cidade guarda uma grande diversidade de museus que compartilham a história da cidade e da região Norte com o público.

            Museu da Amazônia

O MUSA, Museu da Amazônia, é um museu ao ar livre que divide espaço com o Jardim Botânico de Manaus na Reserva Florestal Adolpho Ducke. A proposta do museu é oferecer ao visitante a visão de como é por dentro da Floresta Amazônica. O espaço possui um borboletário para visitas e oferece trilhas pela floresta, onde os guias orientam sobre a fauna e flora locais. Mas a atração principal é a sua Torre de Observação que conta com três diferentes níveis, cada um mostra ao visitante uma perspectiva da floresta amazônica, e que chega a 42 metros de altura.

            Museu do Seringal

O Museu do Seringal se instaurou em uma casa restaurada com a temática da época do Ciclo da Borracha para um filme. Para chegar ao museu, o turista deve pegar uma lancha ou barco na Marina do Davi que está entorno de 1 hora de distância do Centro Histórico

Durante a visita, o guia percorre toda a extensão da propriedade mostrando detalhes de como era o período, o procedimento para extração do látex e o modo de produção da borracha. O passeio é uma verdadeira imersão na realidade daquela época e mostra duras verdades sobre o paralelo entre a riqueza dos produtores e a miséria dos trabalhadores que viviam em condições análogas à escravidão.

Mercado Adolpho Lisboa

Mais antigo que o Teatro Amazonas, o Mercado Municipal Adolpho Lisboa é outra relíquia majestosa do período da extração do látex na Região Norte. Foi fechado em no início dos anos 2000 para obras de revitalização que duraram quase uma década e foi reinaugurado no ano de 2013. O local conta com uma variedade de bancas vendendo artesanato e comidas tipicamente regionais, perfeito para comprar souvenires ou ingredientes locais para levar para casa. Quem puder visitar o mercado cedo pela manhã terá a oportunidade de conhecer o pavilhão dos peixes, que oferece os mais frescos peixes amazônicos.